5 de junho de 2008

>> a well respected man

ao longo dos anos que passei como estudante, nenhuma das minhas turmas foi fértil em homens. eu diria mesmo que devo ter tido uma média de 85% de mulheres nas salas de aula (roam-se de inveja senhores engenheiros). e esta pós-graduação... não é excepção.

e numa pós-graduação onde a imagem televisiva é um dos pontos mais valiosos, o que é que não pode acontecer? acidentes! e nisso meus caros... eu sou perito.

ontem, minutos antes da aula, decidi ir ao wc antes da chegada do professor. deixei o casaco, o famoso caderno e a caneta no café, junto das colegas, e lá fui eu, rumo ao meu chi-chi.

uma vez aliviada a bexiga e recolhida a genitália, encaminhei-me para o lavatório. abri a torneira para lavar as mãos e...

SPLASH!

regra número um das casas-de-banho que visitas pela primeira vez: abrir a torneira muito devagar, não vá a potência do jacto de água ser semelhante à erupção de um vulcão, após três séculos de adormecimento.

não que eu alguma vez tenha assistido à erupção de um vulcão após três séculos de adormecimento, mas até gostava de o fazer. a uma distância segura.

distância segura, era aquela a que eu NÃO estava da torneira, que me encharcou as calças. e onde é que as calças ficaram molhadas? de ladecos, mesmo ali ao lado do tintim direito. era água, pois era. mas numa turma onde todos somos novatos, quem iria acreditar em mim? ninguém, obviamente.

nos instantes que se seguiram, era ver-me de mão no bolso, a tentar chegar ao secador das mãos, e a esfregar as calças a um ritmo tal, que mais parecia a 'aldeia da roupa branca' em fast forward.

é algures neste processo, que olho pela brecha na porta do wc e vejo o professor a passar em direcção à sala. era agora ou nunca.

segui o professor como se fosse uma sombra. de passo certo, como se estivéssemos a marchar, bem coladinhos. como se a fivela do meu cinto estivesse presa na etiqueta das calças dele.

ao chegar ao café, o professor dirigiu-se para a sala, e eu estava agora exposto, abandonado ao improviso. numa fracção de segundos, passei de lado entre duas colegas, mandei uma joelhada na cadeira onde estava o meu casaco, baixei-me para apanhá-lo e levantei-me com o casaco apoiado no meu colo, como quem segura uma pasta.

a mancha estava agora tapada, e eu estava a salvo da humilhação pública. agradeci mentalmente ao são pedro por ainda fazer fins de dia fresquinhos, e me ter feito levar o abençoado casaco. depois, dirigi-me para a sala, onde uma vez sentado, estava completamente fora de perigo.

aleluia irmãos.

13 comentários:

Leila* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila* disse...

É por estas e outras histórias que uma amiga minha me disse: "Oh leila* não leves a mal, gosto imenso do que escreves, mas com aquele rapazinho do Kitsch é que eu me rio bastante". Não sei se a moça te conhece, mas parece que tens mais uma fã.

"e pronto, era isto."

kiss*

ah, já me esquecia! lembro-me do cabelo comprido, do aparelho nos dentes e do vólei. :P

hothotheart disse...

meu deus so manobras

Bee. disse...

algures nas nossas vidas já todos passámos pela 'molha da torneira', por vezes difícil de superar.

especialmente quando se anda na escola preparatória, onde os comentários não sofrem qualquer tipo de triagem mental, e ferem letalmente, como se objectos de tortura se tratassem.

lembro-me do que fizeram ao Galinha. ficou sem ir à escola uma semana.

Leididi disse...

lolllllllllllllllllllllllll
Muito bom!!

Paula disse...

Tu é erupções vulcânicas, é tornados, é torneiras malucas...
Aleluia irmão!
:)
Bjs!

paperdoll disse...

that was a close one... mas tu és astuto rapaz.

miss gija disse...

ahahaha admite os erros ...e acredita que irias ter uma tarde bem passada com conversa parvas entre gajas ;)

hothotheart disse...

pois eu vi-os a 4 anitos no super bock e vi agr pela tv n rir eheheheh e pronto opa sao impecaveis em termos tecnicos mas acho smp q falta aquele calor e empatia, mas isto sou eu

misskitsch disse...

eu, na tua posição, acho que molhava as calças todas e começava logo a disparar no bar algo do género: vê lá esta faculdade, a torneira rebentou na minha mão.

mas vá, a tua solução também não foi má ;)

Sophia Loren disse...

l´été exige un rafraichissement. Bien joué! Já agora, o inverno como estação preferida? ou como composição preferida?

MiSs Detective disse...

nao ha nada como novas experiencias

dezperado disse...

LooooooooooL

fdx tu és o MAIOR :)