4 de abril de 2008

>> eat my shorts

enquanto por cá se debate arduamente o episódio 'dá-me o telemóbel!' protagonizado por uma jobem na sala de aula, no outro lado do atlântico a polícia norte-americana descobriu um plano de nove alunos do ensino básico para matar a professora.

os miúdos já tinham tudo bem delineado, agrediam a professora com um pisa-papéis, depois algemavam-na e finalmente esfaqueavam-na. todo o material já estava dentro da escola, e pronto a ser utilizado.

no outro lado do mundo, uma estação de televisão palestiniana transmitiu um programa infantil de marionetas que mostra uma criança a esfaquear george w. bush até à morte.

ora tudo isto deixa-me triste e deprimido. não pela violência em si, mas pelo facto de me sentir velho e ultrapassado. no meu tempo já ficávamos todos excitadinhos porque a vera do 5ºC trazia mini-saia sem collants, ou porque no intervalo grande podíamos ir para trás do pavilhão A dar beijinhos na boca às namoradas, ou ainda porque no episódio do dia anterior do d'artagnan se tinha descoberto que o aramis afinal era uma miúda e havia mesmo quem jurasse a pés-juntos ter visto parte da side-boob do(a) dito(a)-cujo(a). os que sentiram uma erecção nunca mais falaram sobre isso a partir do momento em que o zé afirmou em alto e bom som: 'tiveste tesão? então és gay!'. ter uma erecção ao ver desenhos-animados era perfeitamente normal, ter uma erecção ao ver uma mulher semi-nua com roupas de homem em desenhos-animados já não era. esta era a filosofia do zé, o repetente.

enfim, são sinais do tempo (bom nome para um programa não acham?). enquanto que a minha geração com 10 anos descobria a sua sexualidade, os miúdos de agora descobrem armas. pensem nisto meus caros, analisem os prós e contras (bom nome para um programa não acham?) e deixem as vossas opiniões.

por outro lado, está um calor danado, portanto não pensem muito. divirtam-se nesta sexta à noite (bom nome para um talk-show não acham?) e aproveitem o fim-de-semana da melhor maneira. hoje é caso para dizer... vão pra fora, que está quentinho!

8 comentários:

Hydrargirum disse...

:)))))

Obrigado pelas gargalhadas:)...Fizeste à lá humor...mas está aqui uma realidade mto premente...

Há aqui um contacto (outro bom nome para um programa, não achas?)que deixou de ser feito entre infância e inocência...

Tb tinhas um Zé repetente?...Há sempre um...se calhar vêm da mesma família!:)

Abraço Chihuahua:)

paperdoll disse...

digo-te uma coisa, não sei o que seria de mim sem estes teus conselhos finais. tenho para mim que isto é um serviço público que prestas à sociedade!
sim, os jovens de hoje blablabla já sabes o que vou dizer e, concluindo, estou velha... :(

António Raminhos disse...

"enquanto que a minha geração com 10 anos descobria a sua sexualidade, os miúdos de agora descobrem armas"

E não é a mesma coisa? Nos dois momentos tens a tendência para disparar à miníma provocação.


AR

www.antonioraminhos.blogspot.com

miss gija disse...

EPÁ!(ainda não percebi porquê que não há um programa com este nome)...é triste esta nova geração, e ainda vai ser mais triste quando essa geração chegar à minha actual idade, os ditos 27 ou 26 (já nao sei). eu era feliz, pois amava o d'artagnan, alias o gajo ainda habita com meu coraçao.
já que ainda está semi-calor, vou ali recodar velhos tempos, e comer um gelado EPÁ.

misskitsch disse...

a revelação do aramis foi um momento marcante na minha vida... juro! ainda acalentei esperanças de ele se enrolar com outro dos mosqueteiros, mas pronto... nada feito.

mas em relação à "juventude" de hoje... tipo, eles já descobriram a sexualidade aos 9 anos, logo, faz sentido que procurem novas emoções... :s

basta passar por santos e confirmas a minha teoria. mini quengas de 12 anos atracadas a imberbes de borbulha na cara e cabelo à fuodasse! pah...

paddy disse...

Matar a professora com um pisa-papéis? xD Brilhante!

Bee. disse...

No meu tempo era uma excitação quando os do 9º ano deixavam fugir a bola durante a hora de Educação Física e depois vinha parar perto das nossas salas (as do 5ºano, que eram no pavilhão B), e nós corriamos para a janela para só para olhar para eles, o Macau e o João Diogo...*sigh*

Os desenhos preferidos não eram certamente Os Moscãoteiros, mas sim Bia, a Feiticeira.

Mas também tentámos matar uma professora, só que só lhe atirámos com giz à cabeça.

Lily disse...

We don't need no education
We dont need no thought control
No dark sarcasm in the classroom
Teachers leave them kids alone
Hey! Teachers! Leave them kids alone!
All in all it's just another brick in the wall.
All in all you're just another brick in the wall.

Já em 1979 era assim... se a escola promovesse a diferença e não a massificação....